Olá! Crie sua conta de acesso ao site.
Se você já é cadastrado, faça o seu login.
Busca
Responsabilidade Social
A visão humanitária e os conteúdos atitudinais são privilegiados de modo transversal no Da Vinci, em consonância com o ideário da instituição, que prima pela formação do homem integral e ser social. Acreditando que atitudes ideais não são incorporadas sem um trabalho permanente de conscientização e acompanhamento perante os alunos, a equipe do Da Vinci busca trabalhar temas sociais em seu currículo,   aplicar aos espaços internos da Escola as noções de respeito à pessoa e ao patrimônio, cuidado com o ambiente, saúde e higiene pessoal, preservação e registro da memória cultural; além de viabilizar a participação dos alunos em projetos socioculturais. Nesse contexto, há extrapolação do âmbito das diversas disciplinas e do tratamento tradicional dado aos conteúdos, instigando os alunos a desenvolver habilidades e hábitos sociais, disciplinares, temporais e causais; e a canalizar os sensos de disciplina, organização e motivação para a responsabilidade social e o espírito cidadão.

Sempre contextualizados ao cotidiano pedagógico da Escola, diversas iniciativas foram e/ou vêm sendo desenvolvidas no âmbito do Da Vinci, ou apoiadas/patrocinadas pela Instituição.   Abaixo, listamos alguns deles, com descrições sucintas para propiciar uma visão panorâmica/focada quanto à responsabilidade social praticada transversalmente em nosso currículo.





  • Organizamos, coordenamos, incentivamos e participamos de diversas campanhas de arrecadação de alimentos, materiais escolares, roupas e outros itens de necessidade para doação a comunidades carentes ou a cidades abaladas por intempéries, mobilizando a comunidade educativa para a cultura solidária e o comprometimento com o entorno, sempre com obtenção de excelentes resultados e reconhecimento das instituições/pessoas beneficiadas.

  • Destinamos diariamente, desde nossa fundação, todo o excedente de nossos refeitórios para o Asilo dos Velhos. Além disso, destinamos a outras unidades assistenciais doações em leite recolhidas como “ingresso simbólico” para os eventos do projeto “Aprendendo a Ouvir”, que se destina à formação de uma cultura musical ampliada (seja de execução, seja de apreciação) em nossa comunidade educativa.

  • Empenhamo-nos em dar visibilidade ao nosso compromisso com o meio-ambiente e a preservação de recursos naturais, tendo criado a “Reserva Municipal do Morro do Itapenambi” (ao fundo da Escola), atualmente transformada em uma reserva nativa de Mata Atlântica, em substituição aos eucaliptos e capim que antes dominavam o local e investido recursos em uma obra de contenção da encosta, para tanto recorrendo ao trabalho especializado de geólogos e engenheiros.

  • Utilizamos, há vários anos, a energia solar para o aquecimento de toda a água usada nos banheiros da Escola.   Também captamos e reutilizamos, nos jardins, a água proveniente das chuvas.

  • Mantemos o projeto "Arte sem Limites", nascido de parceria do Da Vinci com a Phylarmonia e o G7-DV, cujo propósito é a formação/ampliação de um grupo artístico-musical do qual fazem parte pessoas com deficiência visual, tendo professores voluntários de nosso Centro Musical como formadores/mediadores e contando com alunos da Escola (também voluntários) na condição de apoiadores de “bastidores”. Tal projeto vem proporcionando momentos sublimes de aprendizado, solidariedade e cidadania, além de desembocado em apresentações culturais de alto nível.



  • Coordenamos os projetos “Matemática Solidária” e "Inglês Solidário", que juntos constituem o "Parceria Solidária" e trazem ao Da Vinci (semanalmente) um grupo de alunos da rede pública, a fim de que se preparem para a Olimpíada de Matemática da rede pública e sejam instrumentalizados com conhecimentos contextualizados e utilitários sobre o Inglês, tendo como professores/tutores/monitores alunos do Fundamental II e Ensino Médio do Da Vinci que voluntariamente se engajam no processo de autoformação, organização das aulas e preparação de materiais/recursos, avaliação do processo. Tais iniciativas contam com o apoio do ICL (Instituto Carlos Lindenberg) e o projeto "Inglês Solidário" e a chancela da American Chamber do Espírito Santo.



  • Desenvolvemos iniciativas de integração com o Morro São Benedito (vizinho à Escola) através do projeto “Cidadania/Arte em cena” ou de outras iniciativas de aproximação sempre pautadas num foco sociocultural, fazendo nossos estudantes conviverem com a realidade social e escolar de alunos de outras camadas sociais, instigando à troca de experiências e demonstrações culturais de ambas as partes.

  • Patrocinamos sistematicamente os programas "Gazeta em Sala de Aula", "Gazeta Shows", "Sócio de Carteirinha", bem como projetos coordenados pela Rede Gazeta em torno da exposição de produções de artistas capixabas.   Todas essas iniciativas enriquecem o cenário cultural do Espírito Santo e constituem motivos pedagógicos para escolas da rede púbica/privada.

  • Participamos, em parceria com a PMV, do projeto "Escritos de Vitória", que promoveu o lançamento de um livro mensal de crônicas sobre nossa cidade, bem como patroncinamos a edição e lançamento de outras pubilcações que dêem maior visibilidade às potencialidades locais.

  • Promovemos e patrocinamos, por força da comemoração do vintenário da Escola, a Exposição "Por Dentro da Mente de Da Vinci", que veio de Florença, passou pela França, México, Bolívia, Rússia, EUA e Chile e por cidades brasileiras. Com público estimado em 50 milhões de pessoas, trouxe a Vitória 40 peças que ilustram a genialidade de Leonardo da Vinci para o público capixaba, principalmente para os alunos de escolas públicas e particulares (nossos alunos do Fundamental ao Ensino Médio visitaram maciçamente a exposição e tiveram-na como foco de trabalhos pedagógicos e produções culturais). A mostra também marcou a inauguração do Salão Afonso Brás, no Palácio Anchieta, compondo um novo espaço cultural para o nosso Estado e uma etapa  representativa da restauração de um dos principais monumentos históricos do Espírito Santo.



  • Patrocinamos a exposição "A Beleza na Escultura de Michelangelo", também no Palácio Anchieta, com 25 esculturas – réplicas em gesso – de obras de Michelangelo e de artistas contemporâneos, como Jacopo dalla Quercia, Bernardo Rosselino, Andrea Verrochio, Gian Lorenzo Bernini, Vincenzo Danti e Giambologna; 10 gigantografias de Aurelio Amendola – reconhecido como o maior fotógrafo de Michelangelo - e seis desenhos originais, que vieram diretamente do acervo da Casa Buonarroti - Museu que guarda relíquias do gênio - em Florença, Itália. Deo forma idêntica ao que aconteceu na exposição sobre Leonardo da Vinci, houve grande estímulo para visitação de escolas públicas e privadas, sendo que no Da Vinci houve montagem de grupos de acesso contemplando todas as séries, além de abordagem pedagógica na sala de aula.

  • Publicamos o livro “Oratórios, Capelas e Igrejas de Santa Teresa”, reunindo: fotografias e informações sobre 130 construções religiosas da religião, mostradas através de cerca de 660 imagens coloridas, resultado de um trabalho de campo com mais de 8.000 km percorridos e participação de 43 alunos e 21 acompanhantes; resgate de fatos e personagens históricos alusivos à região; ensaios de pensamento sobre os dilemas de modernizar e preservar, bem como sobre as diferentes dimensões da preservação da memória cultural.

  •  Promovemos a restauração da Capela de Nossa Senhora da Conceição, em Santa Teresa (Capela dos Lambert), com a atuação voluntária de alunos e professores no manejo de materiais e técnicas de restauro, além de realização de evento cívico para celebrar a entrega do templo restaurado à comunidade, contemplando resgate de tradições italianas, dramatizações, homenagens etc.



  • Entregamos o projeto arquitetônico à Municipalidade de Santa Teresa, visando à restauração da primeira residência de imigrantes italianos no estado, marco da colonização italiana no país, a Casa dos Lambert, o que resultou na revitalização do espaço e sua transformação em museu histórico.

  • Recuperamos o processo judicial que inspirou o autor Graça Aranha a produzir o romance Canaã, num movimento de preservação da memória cultural do Estado que levou os alunos ao contato com documentos históricos e com técnicas de preservação, tudo sob orientação do Arquivo Público Estadual.

  • Promovemos o resgate das contribuições do professor Vittorio de Monti para a história da imigração   italiana no Espírito Santo – na forma de relatos, fotografias, livros e revistas, além de acervo de objetos pessoais -   e doação dos materiais organizados por iniciativa de professores e alunos voluntários para o Museu de Araguaia, compondo a memória cultural da região.

  • Realizamos gincanas beneficentes contemplando ações de auxílio a camadas sociais desfavorecidas e montagem de campanhas educativas sobre temas de violência, desrespeito aos direitos humanos, questões de desarmamento e descuido com o trânsito, desenvolvimento sustentável, preservação do patrimônio natural e histórico, dentre outras.

  • Desenvolvemos com os terceiros anos do Ensino Fundamental o projeto “Convivência”, que instiga à relação harmoniosa entre os estudantes, levando as crianças a  vivenciar a cultura da paz e exercitar a tolerância e o respeito mútuo, a partir da compreensão das diferenças.

  • Realizamos com os quintos anos do Ensino Fundamental o projeto “Menor Trabalhador”, que examina em profundidade o tema do trabalho infantil, inserindo as crianças no estudo teórico e na dimensão real do problema mediante visitas de campo e contatos com menores trabalhadores, o que resulta em consciência social e na denúncia de práticas de desrespeito aos direitos da criança e do adolescente.

  • Comemoramos o Dia Mundial da Paz, com a preparação (por alunos) de mais de 1.000 tsurus, pássaros de papel, enviados a Hiroshima, o que gerou uma correspondência da administração da cidade à Escola informando-nos acerca da colocação das dobraduras na Praça da Paz Celestial.

  • Editamos e lançamos o livro “Um sonho de paz”, com desenhos e poemas alusivos ao tema, agregando produções de alunos do Da Vinci e de escolas públicas, num movimento de integração social e estímulo à diversidade.

  • Promovemos a participação de alunos da Escola em movimentos/encontros visando à defesa e preservação do patrimônio histórico e cultural, como por exemplo, a campanha realizada quando da Viagem Acadêmica à Ouro Preto (panfletagem sobre a necessidade de se preservar a obra de Aleijadinho). Além disso, em outras viagens acadêmicas, apresentamos propostas de intervenção no entorno (a exemplo das denúncias quanto ao mau estado de conservação dos monumentos e imediações no Vale do Canaã, em Santa Teresa) ou inspiramo-nos em vivências de campo para propor a extensão de iniciativas culturais e turísticas bem-sucedidas no âmbito do Espírito Santo (a exemplo da proposição de um parque temático infantil no Espírito Santo com base na literatura capixaba, inspirado em similares existentes na região de Taubaté em torno do universo de Monteiro Lobato).

  • Disseminamos informações e promovemos a sensibilização quanto a temas transversais (riqueza cultural do Espírito Santo, sexualidade, consciência ambiental), contando com o envolvimento de alunos que, por sua livre iniciativa ou sob monitoramento da Escola, atuam na formação de consciências e leitura crítica do entorno, mantendo contato com alunos de escolas públicas, funcionários e filhos de funcionários da Escola, pertencentes a outra realidade social.

  • Produzimos a reedição de livros de literatura capixaba para alunos do Da Vinci (“O templo e a forca” e “A nau decapitada”, de Luiz Guilherme Santos Neves; O Albergue dos Querubins”, de Adilson Vilaça, “Canaã”, de Graça Aranha, “Karina”, de Virgínia Tamanini), sempre agregados a projetos socioculturais contemplando resgate de fatos históricos, realização de visitas aos locais retratados nos romances e estabelecimento de comparações entre passado e presente, proposição de campanhas educativas   e interferências na realidade, além de releitura das obras para o público infantil, com aproveitamento das produções assim obtidas para disseminação dos objetos de estudo perante outros leitores.

  • Realizamos experiências de intercâmbio intermunicipal envolvendo o Da Vinci e escolas públicas de regiões interioranas ou pequenas cidades do Espírito Santo, inserindo nossos alunos em outro contexto de vida (escolar/familiar/social) e acolhendo intercambistas de diferentes realidades regionais para viverem a mesma experiência, favorecendo a convivência entre as diferenças e a percepção das singularidades culturais do Estado, sob diferentes perspectivas.

  • Participamos, por intermédio de nossos alunos, em simulações de encontros de negociação diplomática (inspirados no ideário da UNESCO, da ONU e de outros organismos internacionais), em metrópoles brasileiras ou em Washington, cujo objetivo maior é buscar soluções diplomáticas para os mais diversos problemas mundiais. Por força dessa experiência, montamos anualmente o Fórum de Discussão Estudantil no âmbito do Da Vinci, trazendo para perto de nossos alunos e de estudantes egressos da rede pública temas sociais e geopolíticos da realidade contemporânea, propiciando que se aprofundem na busca de resolução de problemas ou enfrentamento  de questões que tanto dificultam a convivência harmônica entre os povos, em suas crenças, ideologias e visões de mundo.




  • Investimos permanentemente na formação de funcionários da instituição, incentivando-os a desenvolver talentos que lhes permitam ampliar suas frentes de atuação, tornando-se profissionais autônomos e competentes em diferentes especialidades   e desenvolvendo olhar empreendedor para mudança de suas histórias de vida.       
Como se depreende da diversidade das ações aqui resgatadas, abraçar o projeto de uma escola que prioriza a dimensão sociocultural do currículo é incorporar uma filosofia de trabalho que não se esgota e permanece sempre atenta ao entorno, tendendo a transformar a escola em lugar de partilha e riquezas existenciais, sempre com o coletivo e o social prevalecendo sobre o individual   e o privativo. Muitas dessas abordagens podem ser conhecidas mais detalhadamente mediante acesso ao nosso site (especialmente na Seção de Notícias), em que há matérias pontuais sobre projetos pedagógicos, campanhas e eventos culturais que ilustram a responsabilidade social como mais uma marca institucional do Centro Educacional Leonardo da Vinci.

Página Inicial | Tour Virtual | Notícias | Inscrições em Atividades | Fale Conosco | Circulares | Infantil | Fundamental | Ensino Médio | A Escola | Perspectiva Cultural | Fóruns Acadêmicos | Viagens Acadêmicas | Oficinas Opcionais | Vestibulares e Enem | Olimpíadas | High School | Conteúdo Pedagógico | Informações 2013 | Inscrições em Atividades

Rua Elias Tommasi Sobrinho, 154, Santa Lúcia - Vitória, ES - Brasil - CEP 29056-910 - Tel: (27) 3334 6300
© Centro Educacional Leonardo da Vinci 2021 · www.davincivix.com.br